NIETZSCHE

"E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música". "Vida sem música é um equívoco". NIETZSCHE

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

EUMIR DEODATO-DEODATO 2-BRASIL 1973



É satisfatório saber a diversificação de vertentes encontrada no campo da música. Também muito bom, é perceber tal diversificação enquanto fundadora de novas vertentes, que, por sua vez, são difusoras de outras.
Creio que vertentes musicais possam emergir a partir de diversos tipos de experiências: de viagens por outras terras, de parcerias, de simples mudanças de ares, de transformações interiores, mudança de valores, ou até mesmo de "expansão" da mente, quem sabe!?
É muito provável que Deodato tenha passado por algumas dessas experiências, por todas, ou até por outras mais. Ou não!
O que se sabe é que o Eumir Deodato tinha uma tremenda capacidade de criação, de transformação, transmutação, enfim, é o que costumamos classificar como gênio da música, pois não são simplórias suas atribuições enquanto músico: compositor, arranjador, maestro e instrumentista. Além de ter sido produtor de centenas de álbuns de artistas variados. Formou parcerias memoráveis com outros de renome, tanto nacionais quanto internacionais. Era tão requisitado que atraía para seu entorno dezenas de músicos do mais alto escalão mundial.
Vou citar apenas algumas parcerias deste gênio: João Donato, Elis Regina, Marcos Valle, Stanley Clarke, Milton Nascimento, Tom Jobim, Billy Cobham, Airto Moreira, Ron Carter, Hubert Laws, John Tropea, Rick Marotta, George Benson, Luiz Bonfá, Astrud Gilberto, Wilson das Neves, Flora Purim, Aretha Franklin, Roberta Flack, Wes Montgomery, Sinatra, Kool and The Gang's, Björk, Gal Costa, Oscar Castro Neves, Paulo Moura, Menescal, Mauricio Einhorn, Ray Barretto, Titãs (acústico MTV)... Nietzsche, Mozart, Beethoven (brincadeirinha). Perdão, eu disse que citaria apenas alguns, mas me empolguei...
O álbum em questão é mais uma obra prima concebida por Deodato. Foi lançado na sequência de Prelude de 1972 (outra obra prima), antes mesmo que o mundo retomasse o fôlego. É como se ele estivesse enfeitiçado, pois repete a façanha na mesma linha do álbum anterior, dando continuidade à fórmula de sucesso em diversos âmbitos, mormente no da qualidade musical suprema.
Encontramos aqui os mesmos ingredientes mágicos, tais como o jazz/soul muito bem entrosado, a imponente harmonia da bateria e da percussão em relação a todos os ritmos, a genialidade na desconstrução de clássicos consagrados, arregimentação ímpar dos instrumentos, os arranjos monumentais, as atuações individuais dos músicos e o entrosamento entre eles.
No sentido mais positivo do termo desconstruir, Deodato interfere significativamente na estrutura do clássico do The Moody Blues, Nights in White Satin, de forma triunfal, incrustando definitivamente sua legenda na história da música. A guitarra de John Topea trafega com alma iluminada por entre a divina colocação do baixo de Stanley Clarke e o magnífico conjunto de bateria (Billy Cobham) e percussão. Há momentos em que a guitarra grita frenética e melodicamente com toda sua força para poder emergir num mar de orquestração de cordas e metais. É uma explosão de cores, signos e emoções, dada numa impressionante alternância de cadência com suas progressões e regressões. É o surgimento de um novo clássico, por um músico altamente qualificado, para fazer jus à magnitude do original de 1967.
É um álbum completo em toda sua extensão, inclusive as três faixas bônus (foram incluídas com o lançamento da versão digital) encaixam-se perfeitamente no contexto da obra, e certamente seriam incluídas no vinil, se houvesse espaço. Todas são magníficas, com destaque para a versão do clássico Do it Again, que ganhou uma roupagem deliciosa, pois, também, fazendo jus à versão original.




Faixas:

Super Strut - Deodato
Rhapsody in Blue – George Gershwin
Nights in White Satin – The Moody Blues
Pavane for a Desd Princess – Maurice Ravel, Deodato
Skyscrapers - Deodato
Latin Flute (bônus) – Deodato
Venus (bônus) – Deodato
Do it Again (bônus) – Steely Dan

Músicos:

Deodato - Arranger, Conductor, Keyboards, Main Performer.
Drums - Billy Cobham, Rick Marotta.
Percussion, Conga - Rubens Bassini, Gilmore Degap.
Guitar - John Tropea.
Bass - Stanley Clarke, John Giulino.
TrumpetFlugelhorn - Burt Collins, Joe Shepley, Victor Paz, Alan Rubin, Jon Faddis, Marvin Stamm.
Trombone - Garnett Brown, Wayne Andre.
Bass Trombone - Tony Studd.
Sax (Baritone) - Joe Temperley.
Flute - Jerry Dodgion, Hubert Laws, Romeo Penque, George Marge.
Viola - Alfred Brown, Emanuel Vardi.
Violin - David Nadien, Max Ellen, Paul Gershman, Harry Glickman, Emanuel Green, Harry Lookofsky, Harold Kohon , Harry Cykman, Joe Malin, Gene Orloff, Elliott Rosoff, Irving Spice.
Cello - Charles McCracken, Alan Shulman, George Ricci.
Arco Bass - Russell Savakus, Alvin Brehm.
French Horn - Jim Buffington, Brooks Tillotson.







LINK:
http://www.mediafire.com/?convzdlnjlm

sábado, 5 de dezembro de 2009

KYRIE ELEISON-THE BLIND WINDOWS SUITE-ÁUSTRIA 1974



MAIS UMA DEMONSTRAÇÃO DE QUE ESSA BANDA É SINÔNIMO DE HARMONIA E, NESTE ÁLBUM, UMA DOSE UM POUCO MAIS INTENSA DE ENERGIA.
QUANDO POSTEI O PRIMEIRO ÁLBUM DA BANDA, DEI DESTAQUE ESPECIAL À BATERIA. AQUI, ALÉM DE REAFIRMAR, NÃO FAÇO MAIS POR FALTA DE PALAVRAS... E, AINDA ALÉM, DESTACO O MAGNÍFICO BAIXO MONSTRUOSO E INSISTENTE FEITO UMA SOMBRA QUE QUER TOMAR VIDA.
DIFERNETE DO SEGUNDO ÁLBUM, EM QUE HÁ PREDOMINÂNCIA DOS TECLADOS,THE BLIND WINDOWS SUITE APRESENTA A FORÇA GRITANTE DA GUITARRA, CONFERINDO UMA ATMOSFERA INDISCUTIVELMENTE MAIS ANIMAL A ESTE, EM RELAÇÃO AO OUTRO.
EU DIRIA QUE A GUITARRA É O INSTRUMENTO MAIS SIGNIFICATIVO NESTA OBRA, NÃO FOSSE MINHA ADMIRAÇÃO POR BANDAS QUE UTILIZAM A BATERIA COMO INSTRUMENTO RESPONSÁVEL NÃO APENAS PELA ORGANIZAÇÃO DA COZINHA, MAS TAMBÉM O CONVIDAM PARA UM DRINK NA SALA DE ESTAR.
PARA INFORMAÇÕES MAIS PRECISAS SOBRE ESTE ÁLBUM E ACESSO AO LINK PARA DOWNLOAD, GOSTARIA DE LHES INDICAR O SENSACIONAL E ELUCIDATIVO BLOG PROGRESSIVE DOWNLOADS, REPONSÁVEL PELA GRANDE SACADA DE TER POSTADO ESTE ÁLBUM: http://progressivedownloads.blogspot.com/2009/10/kyrie-eleison-blind-windows-suite-1974.html

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

(RE POST) KING CRIMSON-IN THE COURT OF THE CRIMSON KING-INGLATERRA 1969



IN THE COURT OF CRIMSON KING, NA MINHA OPINIÃO, É O MELHOR ÁLBUM DA BANDA. ALIÁS, EU JÁ COMENTEI ISSO QUANDO POSTEI O MAGNÍFICO RED. PORTANTO NÃO HÁ MUITO MAIS PARA FALAR SOBRE ESTA PEDRA PRECIOSA, LAPIDADA COM TANTA MAESTRIA.
FICO IMPRESSIONADO ATÉ HOJE COM O SENTIMENTO INTRIGANTE QUE A CAPA DESTE ÁLBUM ME CAUSA. LEMBRO-ME BEM QUE QUANDO ADIQUIRI ESTA OBRA PRIMA, MEU AMIGO "CABELINHO" FEZ A SENSIBILÍSSIMA OBSERVAÇÃO DE QUE A FAIXA EPITAPH REPRESENTA, MISTERIOSAMENTE, O CLIMA DE MEDO, DE DESESPERO, CONTIDO NESTA ARTE TÃO EXPRESSIVA; COMO SE A MÚSICA TIVESSE SIDO COMPOSTA NUM MOMENTO DE PERLUSTRAÇÃO DA PINTURA EM QUESTÃO, OU VICE VERSA.

Eis que trago para audição on line a música com um dos mais belos e inspirados solos de flauta.


02- I Talk to the Wind



LINK:
http://www.multiupload.com/DA06OHGHOX

domingo, 29 de novembro de 2009

FELT-FELT-USA 1971





ESSA DIVINA RARIDADE FICOU VAGANDO PERDIDA NO TEMPO DESDE 1971, ATÉ QUE UMA RARA ALMA DECIDIU LANÇAR O VINIL EM 2000 E O CD EM 2004, AMBOS PELA AKARMA RECORDS.
É UMA BANDA EXCEPCIONAL EM TODOS OS SENTIDOS. OS CARAS DESENVOLVEM UM INSTRUMENTAL MUITO AGRESSIVO, COM FORTE PEGADA DA BATERIA, DOS SOLOS DE GUITARRA IMPECÁVEIS EM SUAS VARIAÇÕES MELÓDICAS. O ÓRGÃO FAZ A SUA PARTE NO MELHOR ESTILO DA ÉPOCA, FLORINDO TODAS AS MÚSICAS COM VIAGENS ALUCINANTES E MELÓDICAS. TUDO ISSO É REPRESENTADO ATRAVÉS DE VIAGENS QUE TRAFEGAM PELO HARD ROCK, BLUES E UMA INFLUÊNCIA PROGRESSIVA EM ALGUMAS MÚSICAS, COM INVEJÁVEL HARMONIA EM TODAS ELAS.
HÁ UMA CURIOSA E PERTINENTE APARIÇÃO DA BASE INSTRUMENTAL DA MÚSICA I WANT YOU DOS BEATLES EM DUAS FAIXAS. É AQUELA BASE DE GUITARRA QUE É REPETIDA VÁRIAS VEZES ATÉ O FINAL, QUE, ALIÁS, DÁ UM TOM EXTREMAMENTE PROGRESSIVO DESTE CLÁSSICO DOS BEATLES. EM WEEPIN' MAMA BLUES, DE FORMA UM POUCO DIFERENTE DA PENÚLTIMA MÚSICA, A REFERIDA BASE INSTRUMENTAL INTERCALA COM OUTRA, QUE FAZ REFERÊNCIA À HOOCHIE COOCHIE MAN DE MUDDY WATERS , RESULTANDO NUMA PÉROLA MAGNÍFICA, EM QUE HÁ DOIS EXCELENTES SOLOS DE GUITARRA, SENDO O SEGUNDO, COM DUAS GUITARRAS QUE DESENVOLVEM A MESMA MELODIA, CUJA PERFORMANCE LEMBRA O ÊXITO DA DUPLA DE GUITARRISTAS DO WISHBONE ASH. JÁ EM THE CHANGE, A BASE INSTRUMENTAL DA MÚSICA DOS BEATLES APARECE DE FORMA MUITO CLARA, ENCAIXANDO-SE PERFEITAMENTE AO ANDAMENTO DO BELÍSSIMO PROGRESSIVO DO SOM DO FELT.

MÚSICOS:

ALLAN DALRYMPLE - TELADOS
TOMMY GILSTRAP - BAIXO
MYKE JACKSON - GUITARRA
STAN LEE - GUITARRA
MIKE NEEL -BATERIA

FAIXAS:

1 Look at the Sun
2 Now She’s Gone
3 Weepin’ Mama Blues
4 World
5 The Change
6 Destination

LINK: (NOVO)
http://www.badongo.com/file/18823899

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

FLÁVIO VENTURINI-NASCENTE-BRASIIL 1982



ESTE É UM ÁLBUM QUE DEVE ESTAR NA CABECEIRA DE TODOS QUE GOSTAM DE MÚSICA PROGRESSIVA.
UM ÁLBUM MARAVILHOSO DE BELÍSSIMAS CANÇÕES.
É UMA PENA EU NÃO TER CONSEGUIDO A FICHA TÉCNICA NA WEB; O QUE EU CONSIDERO UMA VERGONHA, POIS FIZ DIVERSAS PESQUISAS. CREIO SER UMA OBRIGAÇÃO DOS SITES E BLOGS DE MÚSICA MINEIRA E MPB. MAS TUDO BEM, ASSIM QUE EU CONSEGUIR, EU A POSTAREI.
RESUMINDO O ÁLBUM, DESTACO AS CANÇÕES JARDIM DAS DELÍCIAS E FANTASIA BARROCA COMO PÉROLAS DA MÚSICA PROGRESSIVA INSTRUMENTAL. SÃO DUAS MÚSICAS DO MAIS ALTO NÍVEL PROGRESSIVO, QUE REVELA A VEIA PROGRESSIVA DE FLÁVIO VENTURINI. FANTASIA BARROCA TEM A INDISPENSÁVEL PARTICIPAÇÃO DE SEU IRMÃO (NAS GUITARRAS) CLÁUDIO VENTURINI, MAGNÍFICO MÚSICO COMPANHEIRO NA BANDA O TERÇO.

1 - PRINCESA ( F.Venturini e R.Bastos )
2 - PENSANDO EM VOCÊ ( F.Venturini e Kimura )
3 - JARDIM DAS DELÍCIAS ( F.Venturini )
4 - FASCINAÇÃO ( F.Venturini e M.Alkmin )
5 - QUALQUER COISA HAVER COM O PARAÍSO (F.Venturini e M.Nascimento )
6 - NOITES DE JUNHO ( Tavinho Moura e R.Bastos )
7 - ESPANHOLA ( F.Venturini e Guarabyra )
8 - CHAMA DO CORAÇÃO ( F.Venturini e M.Antunes )
9 - TEU OLHAR, MEUS OLHOS ( F.Venturini , Zé Eduardo,Paulo Oliveira )
10 - ALICE ( F.Venturini e M.Antunes )
11 - FANTASIA BARROCA ( F.Venturini )
12 - NASCENTE ( F.Venturini e M.Antunes )

LINK:
http://www.badongo.com/file/18037222

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

PASSPORT-CROSS-COLLATERAL-ALEMANHA 1975


EIS UM ÁLBUM QUE CONSIDERO ALTAMENTE RECOMENDÁVEL, APESAR DE NÃO SER APAIXONADO POR FUSION. PERDOEM-ME MAS SOU MAIS FÃ DO PROGRESSIVO MAIS CADENCIADO; FUSION É MUITA (CON)FUSION PRA MINHA CABEÇA. NÃO QUERO COM ISSO, DIZER QUE O ESTILO É RUIM OU INFERIOR, POIS GOSTO MUITO DE ALGUMAS BANDAS, COMO MAHAVISHNU, POR EXEMPLO. É UMA QUESTÃO DE FORMAÇÃO E PREFERÊNCIA MUSICAL MESMO. TALVEZ AINDA NÃO TENHA ATINGIDO O AMADURECIMENTO COMPLETO PARA DIGERIR TAL ESTILO. QUEM SABE UM DIA!
VOLTANDO AO CROSS-COLLATERAL, É UM DISCO INTERESSANTÍSSIMO (VEJA QUE CONTRADIÇÃO! TALVEZ JÁ SEJA UM COMEÇO DE MINHA REDENÇÃO), EM QUE DESTACO A MAGNÍFICA FAIXA TÍTULO QUE, ALIÁS, ACONSELHO AOS OUVINTES QUE NÃO SE IDENTIFICAM MUITO COM O SOM INTRINCADO DO UNIVERSO FUSION, QUE OUÇAM A MÚSICA COM PACIÊNCIA ATÉ O MINUTO 03:12 (APROXIMADAMENTE), POIS A PARTIR DAÍ SERÃO RECOMPENSADOS COM A MARAVILHA CADENCIADA E PODEROSA DA BATERIA DE CURT CRESS, JUNTO AO MAGNÍFICO BAIXO DE WOLGANG SCHMID E AOS DIVINOS TECLADOS DE KLAUS DOLDINGER E KRISTIAN SCHULZE QUE ELEVAM ESTA MÚSICA, ESPANTOSAMENTE, AO MAIS ALTO PATAMAR HARMÔNICO E PROGRESSIVO.

02-Cross-Collateral


MÚSICOS:
Klaus Doldinger: soprano & tenor saxes, moog, electric piano & mellotron
Kristian Schulze: electric piano & organ
Wolfgang Schmid: bass & guitar
Curt Cress: drums & electronic percussion 

MÚSICAS:
1. Homunculus
2. Cross-Collateral
3. Jadoo  
4. Will-o'the-Wisp
5. Albatros Song
6. Damals  
LINK:

http://www.multiupload.com/J12N214IE4

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

MARIO MILLO-EPIC III-AUSTRÁLIA 1979



PARA COMPLETAR A "CONFUSA" E BELA HISTÓRIA QUE CERCA O SEBASTIAN HARDIE, APRESENTO O ÁLBUM SOLO DO MAGNÍFICO MARIO MILLO NUMA VIAGEM MUITO SINGULAR NO MUNDO PROGRESSIVO.
É UM ÁLBUM EXCELENTE, ONDE ELE TOCA TODOS OS INTRUMENTOS, ALÉM DE SER ACOMPANHADO POR VÁRIOS MÚSICOS (SEGUE A FICHA TÉCNICA).

1. Epic III (14:18)
a) The journey
b) Valley of music
c) Musical passages
d) Spectrum of instruments
e) Wisdom teacher
f) Home coming
g) Captured Moments
h) Retrospect
2. Life in our Hands (4:30)
3. Mary's Theme (6:10)
4. Quest theme (6:09)
5. Harlequin and columbine (Waltz Theme)(5:29)
6. Castaway (2:40)
7. Sogno d'amore (Love in dream)(4:40)
7. Sogno d'amore (Bonus) (4:23)


- Mario Millo / all instruments
- Jackie Orszaczky / bass
- Greg Tell / drums
- Peter Kenny / keyboards
- Mark Kennedy / percussion, drums
- David Glyde / saxophones
- Ric Herbert / harmony vocal, choir
- Safanya and Ian Stuart / choir
- Cos Russo / Fender Rhodes
- Laura Chistlett / flute

LINK:
http://www.badongo.com/file/17681036

terça-feira, 6 de outubro de 2009

WINDCHASE-SYMPHINITY-AUSTRÁLIA 1977



NA POSTAGEM DO ÁLBUM WINDCHASE DA BANDA SEBASTIAN HARDIE, EU PROMETI POSTAR SIMPHINITY QUE É O ÚNICO ÁLBUM DA BANDA WINDCHASE. POIS É, AQUI ESTÁ CONFORME PROMETIDO.
NÃO FAÇAM CONFUSÃO - OU MELHOR, FAÇAM! -, POIS O NOME DESSA BANDA É O MESMO DO ÁLBUM DO SEBASTIAN; QUE ALGUNS DIZEM QUE É COMO SE FOSSE A MESMA BANDA (O QUE TORNA A COISA AINDA MAIS CONFUSA).
A QUESTÃO É A SEGUINTE: O SEBASTIAN HARDIE FOI DISSOLVIDO APÓS O LANÇAMENTO DO SEGUNDO ÁLBUM (WINDCHASE), E COM O FIM DA BANDA SAÍRAM OS IRMÃOS (FUNDADORES) ALEX PLAVSIC E PETER PLAVSIC , RESPECTIVAMENTE BATERIA E BAIXO. NO ANO SEGUINTE, MARIO MILLO (VOCAL, GUITARRA, MANDOLIM E ESSÊNCIA DO SEBASTIAN HARDIE) E TOIVO PILT (TECLADO E MELOTRON) TENTARAM A CONTINUIDADE DO PROJETO DE SOM DO SEBASTIAN. DESTA FORMA NASCEU A BANDA WINDCHASE.
A OBRA É MUITO BOA, MAS FALTOU ALGO (ASSIM COMO DA SAÍDA DE ROGER WATERS DO FLOYD). A BATERIA SOOU MUITO INFERIOR, E O BAIXO TAMBÉM. SÓ ELES PODEM DIZER SE A INFERIORIDADE DO ÁLBUM DEU-SE PELA AUSÊNCIA DOS EXECUTORES DOS INTRUMENTOS SUBSTITUÍDOS, OU PELA PELA FALTA MESMO DE MEMBROS QUE ERAM ESSENCIAIS NA ESTRUTURA DO GRUPO.
O QUE É INTERESSANTE É QUE AS COMPOSIÇÕES SÃO BELÍSSIMAS, MAS FALTA ALGO NA EXECUÇÃO DAS MÚSICAS DA OBRA. EM PRIMEIRO LUGAR, ISTO APONTA QUE, PARA UM MÚSICO OU BANDA, NÃO BASTA O PODER DA PERFEIÇÃO NA COMPOSIÇÃO DA OBRA, MAS TAMBÉM, DA ESCOLHA DOS MÚSICOS. EM SEGUNDO, MESMO QUE A ESCOLHA DOS MÚSICOS SEJA A MAIS PERFEITA, PODE FALTAR A FORÇA DA DECISÃO DE COMO AS MÚSICAS E CADA INSTRUMENTO DEVEM SER CONDUZIDOS. SÓ SEI QUE, EM TERCEIRO LUGAR, O SEBASTIAN HARDIE TINHA TUDO QUE MELHOR PODE HAVER NUMA BANDA, POIS OS RESULTADOS SÃO NOTÓRIOS EM SEUS DOIS ÚNICOS TRABALHOS.
LINK:
http://www.badongo.com/file/17659596

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

RIO DE JANEIRO VAI SEDIAR AS OLIMPÍADAS






TENHO O PRAZER DE COMEMORAR A VITÓRIA DO RIO DE JANEIRO, DO BRASIL, DE TODOS OS BRASILEIROS, DE TODAS AS CRIANÇAS DESSE PAÍS.
NÃO SEI SE TODOS TÊM A DEVIDA NOÇÃO DO QUE ISSO SIGNIFICA PARA NOSSA CIDADE MARAVILOHOSA. O FUTURO MOSTRARÁ TAL IMPORTÂNCIA.
ESTA É A MELHOR NOTÍCIA QUE EU RECEBI EM MEUS QUARENTA ANOS DE VIDA, POIS VEJO UMA GRANDE ESPERANÇA PARA O FUTURO DE NOSSAS CRIANÇAS.

domingo, 27 de setembro de 2009

RAIMUNDO FAGNER-RAIMUNDO FAGNER-BRASIL 1976



"Calma violência, violência calma
E a pureza da minh alma
E a minha inocência
Calma violência, violência calma

Minha mão não tem mais palma
Dói a irreverência
Violência, calma
Brasileira é minha alma"

A QUESTÃO AQUI NÃO É A VIOLÊNCIA, NEM FAGNER E NEM A POESIA. A QUESTÃO MESMO É O QUE ESTE ÁLBUM REPRESENTA: MÚSICA QUE TRANSCENDE QUALQUER ESTILO, E POR ISSO ESTÁ AQUI NESTE BLOG.
NESTE ÁLBUM FAGNER REUNIU UM GRUPO DE MÚSICOS INCRÍVEL. ALGUNS JÁ CORRIAM ESTRADA JUNTO A ELE, E OUTROS (MINEIROS) SÃO UMA PARCERIA INÉDITA. ESTES ÚLTIMOS, COMO SE PODE PERCEBER, ESTÃO EM OUTROS ÁLBUNS JÁ POSTADOS AQUI, COMO BETO GUEDES, MILTON NASCIMENTO E WAGNER TISO.
SEI QUE QUEM FREQUENTA ESTE BLOG ESTÁ SE PERGUNTANDO O PORQUÊ DESTE ÁLBUM ESTAR AQUI.
EU POSSO RESPONDER QUE É POR CAUSA, PRINCIPALMENTE, DA MÚSICA CALMA VIOLÊNCIA. PERDOEM-ME, MAS A QUESTÃO É MUITO PESSOAL, POIS COMO PODERÃO PERCEBER, NÃO HÁ INDÍCIOS SIGNIFICATIVOS DE MÚSICA PROGRESSIVA. MAS POSSO ADIANTAR QUE HÁ QUALIDADE DE MÚSICA INDISCUTIVELMENTE MAGNÍFICA.
TODAS AS MÚSICAS DO ÁLBUM FAZEM FARTE DA MINHA FORMAÇÃO MUSICAL; SÃO MARAVILHOSAS...
CALMA VIOLÊNCIA ESTÁ PARA MIM COMO (NUMA "COMPARAÇÃO" ALEATÓRIA) EPITAPH DO KING CRIMSON. O INSTRUMENTAL É ALTAMENTE BEM EXECUTADO, NUM DUELO "INTERMINÁVEL" ENTRE GUITARRA, ÓRGÃO E PIANO, ACOMPANHADOS POR UMA BASE EXTREMAMENTE PRECISA DO BAIXO E DA BATERIA. UMA VIAGEM ALUCINANTE...
DENTRE TANTAS MARAVILHAS, DESTACO TAMBÉM ABC COMO UM ROCK'N ROLL DE PRIMEIRA, ALGO QUE MUITAS BANDAS DE ROCK TENTAM, MAS NÃO CHEGAM AOS PÉS.
RAIMUNDO FAGNER JÁ FOI O "CARA"... E ESTE É UM ÁLBUM PERFEITO.

Coordenação Musical:
RAIMUNDO FAGNER
Direção Artística:
JAIRO PIRES
Direção de Produção:
CARLOS ALBERTO SION
Arranjos:
FAGNER, ROBERTINHO DE RECIFE, WAGNER TISO
Fotos:
LENA TRINDADE
Capa:
FAUSTO NILO
Gravação:
ESTÚDIOS CBS, RIO DE JANEIRO, SETEMBRO DE 1976
Fagner
(violao, voice)
Robertinho de Recife
(violao, guitarra portuguesa, guitarra manola, viola, guitarra leslie)
Chico Batera
(percussion)
Robertinho Silva
(drums)
Luiz Alves
(bass)
Wagner Tiso
(piano, arrrangements)
Liminha, Herman Torres
(electric bass)
Tulio Mourao
(keyboards)
Telma, Terezinha, Cibele, Da Fe, Camarao, Amaro
(choir)
Dominguinhos
(accordion)

Track List

01 - Sinal Fechado (Paulinho da Viola)
02 - Conflito (Petrúcio Maia / Climério)
03 - Asa Partida (Fagner / Abel Silva)
04 - Pavor dos Paraísos (Fagner / Capinan)
05 - Corda de Aço (Fagner / Clodô)
06 - Calma Violência (Fagner / Fausto Nilo)
07 - Natureza Noturna (Fagner / Capinan)
08 - Matinada (Ernâni Lobo / Adpt. Fagner)
09 - Sangue e Pudins (Fagner / Abel Silva)
10 - Além do Cansaço (Petrúcio Maia / Brandão)
11 - Abc (Fagner / Fausto Nilo)


LINK:
http://rs273.rapidshare.com/files/81578460/-_Fagner_-_Raimundo_Fagner__1976_.zip

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

WAGNER TISO-ASSIM SEJA-BRASIL 1979



ESTE É UM ÁLBUM QUE APRESENTA UM MAGNÍFICO TRABALHO DE ALTO NÍVEL. TAMBÉM PUDERA, ESTOU FALANDO DE WAGNER TISO; GRANDE MAGO DA MÚSICA A NÍVEL MUNDIAL, QUE REUNIA EM TORNO DE SI UM UM DOS MAIORES TIMES DE MÚSICOS DO CENÁRIO NACIONAL.

ASSIM SEJA PRINCIPIA A GRAVAÇÃO DE UM DOS ÚLTIMOS SUSPIROS DE WAGNER TISO QUE PERMEIA O ESPAÇO DO UNIVERSO PROGRESSIVO.
SETE TEMPOS ABRE - PASSANDO POR VINHETA DO MEDO E FECHANDO COM TRAGICÔMICO - EM GRANDE ESTILO UM GRANDE ÁLBUM DE MÚSICA INSTRUMENTAL, COM COMPOSIÇÕES INSPIRADÍSSIMAS E FINO ACABAMENTO NA EXECUÇÃO. É LÓGICO, DEVIDO AOS MÚSICOS QUE O ACOMPANHAM E, TAMBÉM, DEVIDO À REGÊNCIA E À ORQUESTRAÇÃO, POR ELE MESMO, É CLARO!

SEGUE ABAIXO A FICHA TÉCNICA, MÚSICA POR MÚSICA.
ASSIM SEJA!

02 - Alegro


MÚSICAS E MÚSICOS:

01 - SETE TEMPOS - Wagner Tiso
Piano acústico e el
étrico - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria e percussão - Robertinho Silva
Baixo elétrico e percussão - Joamil Joanes
Tímpanos e congo - Paulinho Braga

02 - ALEGRO - Wagner Tiso
Piano acústico - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria - Paulinho Braga
Baixo elétrico - Jamil Joanes
Trumpete solo - Márcio Montarroyos

03 - JOGA NA BANDEIRA - Wagner Tiso
Piano acústico,acordeon e clarinete - Wagner Tiso
Violão - Hélio Delmiro
Bateria e percussão - Robertinho Silva
Baixo elétrico - Luis Alves
Clarinete solo - Zé Freitas
Solo vocal - Milton Nascimento
Palmas - todos

04 -A) VARIAÇÕES DE BELA - Wagner Tiso
B) BELA BELA - Milton Nascimento/Ferreira Gullar
Piano acústico - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria - Paulinho Braga
Baixo Elétrico - Joamil Joanes
Baixo acústico - Luis Alves

05 - CHORAVA - Wagner Tiso
Piano acústico,elétrico,clarinete e acordeon - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria e percussão - Paulinho Braga
baixo elétrico - Jamil Joanes
Percussão - Robertinho,Gegê e Davi

06 - VINHETA DO MEDO - Wagner Tiso /Beto Guedes
Piano acústico e acordeon - Wagner Tiso
Bateria e Gongo - Paulinho Braga
Baixo elétrico - Jamil Joanes
Percussão - Roberto Silva
Clarinete solo - Roberto Guima

07 - ASSIM SEJA - Wagner Tiso/Milton Nascimento/Fernando Brant
Piano acústico e elétrico - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria e tímpanos - Paulinho Braga
Baixo elétrico - Jamil Joanes
Percussão - Robertinho Silva e Luis Alves

08 - TRAGICÔMICO - Wagner Tiso
Piano acústico - Wagner Tiso
Guitarra - Hélio Delmiro
Bateria - Paulinho Braga
Baixo elétrico - Jamil Joanes
Flugelhorm - Márcio Montarroyos(solo)
Sax soprano solo - Nivaldo Ornellas

Violinos - Pareschi(spala),Zé Alves,Aizik,Carlos Eduardo,Walter
Hack,Zé Lana,Luis Carlos,Piersanti,Faini,Pissarenko,Wilson Teodoro
e Paschoal Perrota
Violas - Penteado,Stephany,Nathércia e Hindenburgo
Violoncelos - Márcio Mallard,WatsonClis,Bbariola e Luna
Contra Baixo - Luis Alves
Trumpetes - Heraldo,Hamilton,Barreto e Maurilio
Trambones - Maciel,João Luis,Sylvio e Macaxeira
Trompas - Svab e Toninho
Clarinetes - Netinho e Zé Freitas
Flautas - Jorginho,Celso,Zé Carlos e Geraldo
CORAL CÉU DA BOCA - Paulinho Pauleira,Paulo Roberto,Alberto,Ronald,
Dalmo,Mury,Paulinha,Marcinha,Maucha,Rosa,Lídia e Verônica


PRODUTOR FONOGRÁFICO - EMI-ODEON
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO - Mariozinho Rocha
PRODUÇÃO EXECUTIVA - Milton Nascimento
ASSISTENTE DE PRODUÇÃ0 - Giselle Goldini
ORQUESTRAÇÕES E REGÊNCIAS - Wagner Tiso
TÉCNICO GRAVAÇÃO - Chiquinho e Amaro
TÉCNICO DE MIXAGEM - Nivaldo Duarte
CORTE - Osmar Furtado
COORDENAÇÃO GRÁFICA - Tadeu Valério
FOTOS - Fernando Carvalho
CAPA - Noguchi


LINK:
http://www.multiupload.com/JLB7JUE3V6

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

BARCLAY JAMES HARVEST-ONCE AGAIN-INGLATERRA 1971


O BARCLAY É UMA BANDA QUE ESTÁ ENTRE AS MINHAS FAVORITAS, E ONCE AGAIN, SEU SEGUNDO ÁLBUM, TEM UM PESO CONSIDERÁVEL PARA ESTAR ENTRE OS MELHORES DELES: A MÚSICA SHE SAID; UM CLÁSSICO AVASSALADOR COM SUAS POTENTES GUITARRA E BATERIA. É UMA MÚSICA SURPREENDENTE EM SEU LIRISMO; CATIVANTE COM SUA MARAVILHOSA LINHA MELÓDICA. A MIXAGEM É DESLUMBRANTE, DETERMINANDO ESPAÇOS E TEMPOS DISTINTOS NA EXECUÇÃO DA BATERIA, DIVIDINDO-A PERFEITAMENTE, CADA PARTE EM SEU CANAL, DESTACANDO MUITO BEM AS PANCADAS FORTÍSSIMAS E CADENCIADAS, E O ÓTIMO TRABALHO DOS PRATOS.
O ÁLBUM, ALÉM DO NOTÓRIO DESTAQUE PARA SHE SAID, É MARAVILHOSO; COM DESTAQUE TAMBÉM PARA MOCKING BIRD, SONG FOR DYING E A BELÍSSIMA HAPPY OLD WORLD.

LINK:
http://www.badongo.com/file/17407479

terça-feira, 22 de setembro de 2009

THE OLD MAN AND THE SEA-THE OLD MAN AND THE SEA-DINAMARCA 1972



ESTA É UMA BANDA DINAMARQUESA COM O PESO DO HARD PROG DO INÍCIO DA DÉCADA DE 1970. COM SOLOS DE GUITARRA ALUCINANTES; BAIXO E BATERIA À ALTURA DOS MELHORES DA ÉPOCA; E COM GRANDE PRESENÇA DE TECLADOS MARAVILHOSOS.
UM ÁLBUM COM COMPOSIÇÕES BELÍSSIMAS, ORA ENÉRGICAS ORA CALMAS, COM SUAS BALADAS LÍRICAS.
DESTAQUE PARA A ÚLTIMA FAIXA GOING BLIND DE MAIS DE DEZ MINUTOS, COM UM SOLO DE GUITARRA DIVINO, UM BAIXO PRESENTEMENTE MARCANTE E A BATERIA FAZENDO SEU PAPEL DE FORMA SUBLIME.
UM GRANDE ÁLBUM (ÚNICO) DE UMA GRANDE BANDA.
O MÉRITO VAI PARA O GRANDE BLOG HARDVACAS, ONDE DESCOBRI ESTA PÉROLA.

02-Princess

07-Going Blind

MÚSICAS:

1. Living Dead
2. Princess
3. Jingoism
4. Prelude
5. The Monk Song-part one
6. The Monk Song-part two
7. Going Blind

MÚSICOS:

Benny Stanley-guitarra
Knud Lindhard-baixo
Tommy Hansen-órgão
Ole Wedel-vocal
Lars "Bekse" Thygesen-bateria

Vejam mais informações sobre a banda, na excelente resenha do HARDVACAS.

LINK:
http://www.multiupload.com/4UAF1K578H

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

BARCLAY JAMES HARVEST-LIVE-INGLATERRA 1974


GLÓRIA A APOLO!GLÓRIA A APOLO!
DEUS APOLO, OBRIGADO POR ISSO. OBRIGADO POR MAIS ESTA PÉROLA DO PROGRESSIVO. OBRIGADO POR SER TÃO BENEVOLENTE PERMITINDO CHEGAR AOS NOSSOS OUVIDOS ESTA OBRA PRIMA. OBRIGADO POR NOS PERMITIR OUVIR UM DOS MAIS BELOS ÁLBUNS AO VIVO DE TODOS OS TEMPOS. UM DOS MAIS BEM EXECUTADOS.
OBRIGADO POR NOS CONTEMPLAR COM A VERSÃO DE SUMMER SOLDIER, MUITO, MAS MUITO SUPERIOR À VERSÃO DE ESTÚDIO (COISA RARA PRA MIM). PELA PERMISSÃO PARA A EXECUÇÃO DE SHE SAID, QUE ERA INIMAGINÁVEL AO VIVO, TÃO INSPIRADAMENTE EXECUTADA, COM UMA BATERIA TÃO PERFEITA (AINDA QUE NAÕ SEJA MELHOR QUE A VERSÃO EM ESTÚDIO).
DEUS APOLO, OBRIGADO POR UMA BANDA DE ROCK PODER TOCAR COM UMA ORQUESTRA SINFÔNICA (MESMO QUE SEJA DA PRÓPRIA BANDA. A ÚNICA NA HISTÓRIA DA MÚSICA PROGRESSIVA QUE TINHA UMA - BARCLAY JAMES HARVEST SYMPHONY ORCHESTRA).
OBRIGADO POR NOS PRESENTEAR COM ESSA BANDA DO MAIS PURO LIRISMO, UMA DAS MELHORES...OBRIGADO, OBRIGADO E OBRIGADO!!!!!!!!!!!!!

_ 1-Summer Soldier



_ 11-Mockingbird



LINK:
http://www.mediafire.com/?w5batiwxedoti3g

RAGNAROK-NOOKS-NOVA ZELÂNDIA 1976


NOOKS É UM BELÍSSIMO ÁLBUM DE ROCK PROGRESSIVO QUE APRESENTA COMPOSIÇÕES MUITO BEM TRABALHADAS, ENCIMADAS POR MELODIAS BELAS E SUAVES, E ARRANJOS BEM ELABORADOS. É DO TIPO DE OBRA EM QUE A BELEZA PRIMEIRA NÃO ESTÁ NAS PRIMEIRAS LINHAS, OU SEJA, ELA EXIGE QUE A DESCUBRAMOS; QUE MERGULHEMOS NAS PROFUNDEZAS, A FIM DE ENCONTRÁ-LAS. ESTA FOI MINHA PRIMEIRA IMPRESSÃO, EMBORA EU NÃO QUEIRA DIZER QUE É UMA OBRA EXTREMAMENTE COMPLEXA E DE DIFÍCIL AUDIÇÃO. NÃO. TUDO ESTÁ LÁ: BELÍSSIMAS MELODIAS, ANDAMENTO CADENCIADO, CRIATIVIDADE AFLORADA... ENFIM, TUDO QUE UM AMANTE DE PROGRESSIVO DESEJA, ESTÁ LÁ.
EM VERDADE, O QUE PRETANDO DIZER É QUE NÃO É UM ÁLBUM COMO FOUR MOMENTS DO SEBASTIAN HARDIE (JÁ POSTADO AQUI), EM QUE, LOGO NA PRIMEIRA INTRODUÇÃO, EU PUDE DIZER: É O ÁLBUM DA MINHA VIDA.
OUÇAM ESTE QUE É O SEGUNDO ÁLBUM (DE TRÊS) DESTA BANDA EXCELENTE E TIREM SUAS CONCLUSÕES. ESPERO QUE LEVEM MENOS TEMPO QUE EU PARA DEFINI-LO COMO UMA OBRA MARAVILHOSA.
DESCONHEÇO O PRIMEIRO ÁLBUM DA BANDA. O TERCEIRO, HOMÔNIMO, É MUITO DIFERENTE DO NOOKS; É UM TRABALHO DE BELAS CANÇÕES INTRUMENTAIS MELODIOSAS, COM ARRANJOS BEM SIMPLES, FAZENDO BASE PARA UMA GUITARRA SUAVE E DOMINANTE; COM POUCAS PASSAGENS POR AQUILO QUE ENTENDEMOS COMO PROGRESSIVO.
CONHECI ESTE MAGNÍFICO ÁLBUM NO MAGNÍFICO BLOG CÂMARA DE ECO.

Tracks :

1. Five New years (4:48)
2. Waterfall - Capt. Fogg (6:16)
3. Fourteenth Knock (4:53)
4. Paths of Reminiscence (4:15)
5. The Volsung (5:58)
6. Semolina (3:57)
7. Nooks (7:13)



LINK:
http://rs78.rapidshare.com/files/229156110/CE184.rar
SENHA:camaradeeco.blogspot.com

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

INDIAN SUMMER-INDIAN SUMMER-INGLATERRA 1971


QUE SOM MAIS AGRADÁVEL! QUE BANDA SURPREENDENTE! QUANTA COMPLEXIDADE, EMBEBIDA EM GENIALIDADE E DESPROVIDA DE MONOTONIA E EXAGEROS. QUANTAS VARIAÇÕES INTERESSANTÍSSIMAS E CRIATIVAS, LIVRES DE DISSONÂNCIAS E AMÁLGAMAS.
TEMOS AQUI UM ÁLBUM DE UMA RARA BANDA COM UM SOM PROGRESSIVO RARO, PORÉM NÃO RARO O FATO DE SER O ÚNICO DE UMA BANDA, MAIS UMA BELÍSSIMA BANDA QUE NÃO FOI ALÉM DE SEU DEBUT.


Musicians:
Bob Jackson: keyboards, vocals
Colin Williams: guitar, vocals
Paul Hooper: drums, percussion, vocals
Malcolm Harker: bass, vibes, vocals

Tracklist:
God Is The Dog
Emotions Of Men
Glimpse
Half Changed Again
Black Sunshine
From The Film Of The Same Name
Secrets Reflected
Another Tree Will Grow

LINK: VENENOS DO ROCK
http://www.megaupload.com/?d=JNUPHQ7H

domingo, 13 de setembro de 2009

RE(POST)KYRIE ELEISON-THE FOUNTAIN BAYOND THE SUNRISE-ÁUSTRIA 1976/77


UM NOVO LINK FOI ADICIONADO.
TEMOS AQUI MAIS UM BOM EXEMPLO DA IMPORTÂNCIA DA INTERNET NO MUNDO DA MÚSICA.
POR OBRA IRÔNICA DO ACASO (OU NÃO!), O ÁLBUM DE ESTREIA DESTA BANDA VENDEU POCO MAIS DE MIL CÓPIAS EM 1976/77, FATO QUE PRECIPITOU O FINAL DE CARREIRA EM 1978.
POIS BEM; NÃO FOSSE A INTERNET, CREIO QUE JAMAIS PODERÍAMOS DESFRUTAR DESTA OBRA ENCANTADORA.
APESAR DE TER SIDO LANÇADO EM MEADOS DA DÉCADA DE 1970, TRAZ UMA ATMOSFERA QUE SÓ É ENCONTRADA ATÉ 1970, OU SEJA, É COMO SE OS MÚSICOS TIVESSEM PARADO NO TEMPO E LANÇADO UMA OBRA MAGNÍFICA, POIS AQUI HÁ UM TIMBRE DE BATERIA QUE FICARA PARA TRÁS, E MESMO, SÓ SENDO ENCONTRADO EM POUCAS BANDAS DE OUTRORA, COMO KING CRIMSON (NOS DOIS PRIMEIROS ÁLBUNS). É UMA COISA REALMENTE SURPREENDENTE E MARAVILHOSA. O BATERISTA É EXTREMAMENTE ENÉRGICO, E INCANSÁVEL EM SUA BUSCA À PERFEITA HARMONIA COM OS VOCAIS E OS DEMAIS INTRUMENTOS, COM VIRADAS CADENCIADAS, POUCAS VEZES VISTAS NA HISTÓRIA DO ROCK PROGRESSIVO.
NÃO TEMO EM AFIRMAR QUE O GRANDE DIFERENCIAL DESTA BANDA ESTÁ JUSTAMENTE NA FORMA COMO A BATERIA É CONDUZIDA NO CONTEXTO DESTE ÁLBUM; LOGE DE DIZER QUE OS OUTROS INTRUMENTOS NÃO REPRESENTAM BEM SUAS FUNÇÕES, MUITO PELO CONTRÁRIO, TODOS SÃO IMPECÁVEIS, CONTRIBUINDO DE FORMA IMPRESCINDÍVEL PARA COMPLETUDE DA OBRA.
COMO OBSERVEI EM OUTROS ARTIGOS, O SOM DA BANDA VAI DA ATMOSFERA TEMÁTICA DE VDGG, NOS ARRANJOS, À TEATRALIDADE DE PETER GABRIEL NOS VOCAIS. ALGUNS CITAM ATÉ MESMO UMA SEMELHANÇA COM O NURSERY CRIME DO GENESIS, MAS CONFESSO QUE DISCORDO, POIS PERCEBO UM SOM MUITO MAIS MADURO E ENÉRGICO; LEMBRANDO MUITO MAIS OS TRABALHOS INICIAIS DO VDGG, PORÉM, PRESERVANDO UMA IDENTIDADE SINGULAR.

MÚSICOS:
- Manfred Drapela / acoustic & electric guitars, backing vocals
- Gerald Krampl / keyboards, synthesizers, Mellotron, backing vocals
- Norbert Morin / bass, bass pedals, acoustic guitar
- Karl Novotny / drums, percussion, backing vocals
- Michael Schubert / lead vocals, percussion

Track List:
1. Out of dimension (10:10)
2. The fountain beyond the sunrise: (14:20)
3. Forgotten words (8:44)
4. Lenny (16:42)
5. Mounting the eternal spiral (11:12) - Bonus Track

LINK:
http://rs756.rapidshare.com/files/248932303/Kyrie_Eleison_The_fountain_beyond_the_sunrise.rar

sábado, 12 de setembro de 2009

CAMEL-MIRAGE-INGLATERRA 1974


O CAMEL É UMA BANDE DE MUITO PESO NO MUNDO DA MÚSICA PROGRESSIVA. LANÇOU SEU PRIMEIRO ÁLBUM, HOMÔNIMO, EM 1973.
EM 1974 LANÇOU MIRAGE, MANTENDO O ESTILO QUE PRIVILEGIA MAIS A PARTE INSTRUMENTAL. UM BELÍSSIMO DISCO DE ROCK PROGRESSIVO COM NOTAS DE JAZZ E MÚSICA ERUDITA.
UM ÁLBUM QUE NÃO PODE FALTAR NA CABECEIRA DOS OUVIDOS MAIS ATENTOS.

Track Listings:

1. Freefall
2. Supertwister
3. Nimrodel/The Procession/The White Rider
4. Earthrise
5. Lady Fantasy: Encounter/Smiles for You/Lady Fantasy

Personnel:

Andrew Latimer: Guitar, Flute, Vocals
Peter Bardens: Keyboards
Doug Ferguson: Bass, Vocals
Andy Ward: Drums

LINK:
http://www.4shared.com/file/129970929/c5379a8c/Camel_-_Mirage__1974__By_Muro.html

domingo, 6 de setembro de 2009

CARAVAN-IN THE LAND OF GRAY AND PINK-INGLATERRA 1971


ESTA POSTAGEM - CUJO COMENTÁRIO ORIGINAL SEGUE ABAIXO - FOI RETIRADA DO GENIAL E MADURO BLOG PROG ROCK VINTAGE, COMANDADO PELA ERUDITA DA ARTE MUSICAL, LUCIANA. ESTOU DE PLENO ACORDO, PORÉM, FILTRANDO, DESTACO AS DUAS ÚLTIMAS FAIXAS.
CURIOSIDADE: PERCEBI QUE, NA ÚLTIMA FAIXA, HÁ UM PEQUENO TRECHO (QUE É REPETIDO MAIS DE UMA VEZ) EM QUE É FEITA UMA HOMENAGEM (ASSIM CONSIDERO, POIS NÃO HÁ CITAÇÃO ALGUMA NOS CRÉDITOS) À UMA BANDA BASTANTE CONHECIDA... CASO IDENTIFIQUEM, CITEM NO ESPAÇO RESERVADO AOS COMENTÁRIOS.

CARAVAN - In the Land of Grey and
Pink - 1971
Um dos mais geniais discos da cena progressiva mundial. Esse foi o disco-auge do Caravan. Com melodias limpas e simples voltadas para o folk, o disco traz um som extramente gostoso de se ouvir. Destaco todas as faixas que são lindas!
TRACKS:

1. Golf girl (5:05)
2. Winter wine (7:46)
3. Love to love you (and tonight pigs will fly) (3:06)
4. In the land of grey and pink (4:51)
5. Nine feet underground: (22:40)
- Nigel blows a tune
- Love's a friend
- Make it 76
- Dance of the seven paper hankies
- Hold grandad by the nose
- Honest I did!
- Disassociation
- 100% proof

LINK:
http://www.mediafire.com/?l2de21vmzhv

sábado, 5 de setembro de 2009

THE LOAD-PRAISE THE LOAD-USA 1976



CONFORME PROMETIDO, AQUI ESTÁ O PRIMEIRO ÁLBUM DESTA BANDA INCRÍVEL. VOCÊS PODERÃO CONFERIR SE É VÁLIDA MINHA AFIRMAÇÃO DE QUE O HAVE MERCY (NA POSTAGEM DE ONTEM) É SUPERIOR AO PRAISE THE LOAD.
NO SEGUNDO TRABALHO, A BANDA MOSTROU-SE MAIS CRIATIVA E INSPIRADA, APOSTANDO AINDA MAIS NAS FAIXAS INSTRUMENTAIS.



http://rapidshare.com/files/168242829/The_Load_-_Praise_The_Load.rar

domingo, 30 de agosto de 2009

TRAFFIC-THE LOW SPARK OF HIGH HEELED BOYS-INGLATERRA 1971


VAMOS LÁ... FICA DIFÍCIL ESBOÇAR ALGO SOBRE ESTE ÁLBUM. HÁ UMA DIFICULDADE DEVIDO À IMINÊNCIA DE SER IMPERFEITO E INCOMPLETO, POIS TRATA-SE DE UMA DAS MELHORES OBRAS JÁ PRODUZIDAS.
A IMPORTÂNCIA DESTE ÁLBUM PARA A HISTÓRIA DO ROCK É QUE, SEM ELE, O ROCK TERIA UM VÁCUO, UMA LACUNA, UM VAZIO...
QUANTO A MIM... OUVI MANY A MILE TO FREEDOM NA FALECIDA RÁDIO TRIBUNA DE PETRÓPOLIS (QUANTA SAUDADE!); FIQUEI EXTASIADO... SEGUI PARA A TREZE DE MAIO; NÃO FOI DIFÍCIL. ACHEI! DESDE ENTÃO, CONFESSO QUE SOFRI UMA INTERFERÊNCIA QUE TRANSMUTOU MINHAS EXPERIÊNCIAS MUSICAIS VIVIDAS ATÉ ENTÃO.
EM MINHAS VÃNS TENTATIVAS DE ROTULAR O ÁLBUM, CHEGUEI À CONCLUSÃO QUE ERA UM TOLO... FOLK, JAZZ,ROCK,PROGRESSIVO... ENFIM,TUDO ESTAVA LÁ...
POR TUDO APRESENTADO ACIMA, COLOCO ESTE ÁLBUM AQUI NESTE BLOG DE MÚSICA PROGRESSIVA, POIS POR IDENTIFICAR UMA OBRA TÃO BELA, DE VARIAÇÃO TÃO COMPLEXA E MAGISTRALMENTE CONCEBIDA...
GLÓRIA AO SENHOR STEVE WINWOOD; VIRTUOSO MÚSICO COMPOSITOR, MULTI INSTRUMENTISTA E INSPIRADÍSSIMO E LÍRICO VOCALISTA, CUJA ESSÊNCIA FICARÁ MARCADA PARA SEMPRE NA MEMÓRIA DA ARTE.
LINK:
http://www.badongo.com/pt/file/2410844

SEBASTIAN HARDIE-WINDCHASE-AUSTRÁLIA 1976



SEGUE O SEGUNDO ÁLBUM PARA COMPLETAR A PEQUENA DISCOGRAFIA DESTA IMPRESCINDÍVEL BANDA, QUE, LAMENTAVELMENTE, LANÇOU APENAS DOIS. HOUVE O LANÇAMENTO DE UM OUTRO, EM 1977, PORÉM A BANDA HAVIA MUDADO DE NOME. LANÇARAM O ÁLBUM SYMPHINITY (QUE SERÁ POSTADO EM BREVE), E O NOME QUE ESCOLHERAM PARA O GRUPO FOI WINDCHASE; MESMO NOME DO ÁLBUM DESTA POSTAGEM.
EM 1979, MARIO MILLO (ALMA DESTA NAVE ESPACIAL), AINDA LANÇARIA SEU PRIMEIRO ÁLBUM SOLO, INTITULADO EPIC 3 NO QUAL TOCA TODOS OS INSTRUMENTOS, PORÉM, ACOMPANHADO POR OUTROS INTRUMENTISTAS.
ESTE SEGUNDO ÁLBUM DO SEBASTIAN, REAFIRMA TODA A PAIXÃO E CRIATIVIDADE DA BANDA. UM ÁLBUM PARA SER COLOCADO NO ALTAR DAS OBRAS PRIMAS DO PROGRESSIVO. A FAIXA DE ABERTURA É UMA SUÍTE DE 20:39 MIN QUE LEVA O OUVINTE A UMA VIAGEM ALUCINANTE, COM TEMAS ALTAMENTE MELÓDICOS E VARIADOS.
NÃO PERCAM TEMPO E BAIXEM ESTA OBRA PRIMA!!!!!!!!!


 01 - Windchase








MÚSICAS:

1. Windchase (20:37) 
2. At the End (4:04) 
3. Life, Love and Music (4:23) 
4. Hello Phimistar (3:41) 
5. Peaceful (4:10)


MÚSICOS:

- Mario Millo / vocals, guitars 
- Toivo Pilt / keyboards, mellotron 
- Alex Plavsic / drums, percussion 
- Peter Plavsic / bass



LINK:
http://www.mediafire.com/?526r956462j92ok

terça-feira, 25 de agosto de 2009

CRIMSON JAZZ TRIO-KING CRIMSON SONG BOOK VOL 1-INGLATERRA? 2005



ESTA PSTAGEM FOI RETIRADA DO SOFISTICADO BLOG CRIMSON INSPIRATION; SIMPLESMENTE MARAVILHOSO:

"Atenção, isto não é uma banda cover!!!

The Crimson Jazz Trio (http://www.crimsonjazztrio.com), formada pelo ex-baterista do KC Ian Wallace (Islands, Earthbound) acompanhado pelos ótimos Jody Nardone, pianista e Tim Landers no baixo, selecionou algumas obras-primas do King Crimson (mas afinal, o que não é obra-prima no repertório do KC, sorry!) e deu-lhes uma roupagem jazzística. Tudo com muito bom gosto e extrema competência. Eu gostei muito.
Quem gostou também foi nada menos do que Robert "King Crimson" Fripp. Sim, ele mesmo!!!
Em seu diário, ele fez os seguintes comentários que reproduzo abaixo:
"Friday, 1st.July, 2005 17.56
Listening of the afternoon: The King Crimson Songbook: Volume 1 by The Crimson Jazz Trio.
First response: yes! Second response: can't wait for Volume 2.
Very, very few players have covered King Crimson repertoire and no-one of prominence (other than The Schizoid Band and Andrew Keeling's orchestral arrangements) has attempted more than one or two pieces. There have been honourable renditions & representations but, until now, without significantly adding to my understanding of Crimson material.
The CJ3 have respectfully & irreverently taken 8 Crimson classics, repositioned them in the musical spectrum, and delivered their first Songbook with superb musicianship in service to wit & invention. I have heard, as if for the first time, Schizoid, TOAPP, Catfood, Starless, Ladies Of The Road, I Talk To The Wind, Red & Matte Kudasai.
Ian Wallace provides personal hotline & Crimson-juice authority to the Trio, although anyone unfamiliar with Ian's jazz passion & experience may be surprised by what is going on here. O for a shabby & smoke-free jazz club to sit back & savour The CJ3 in living sonic colour. O for someone to persuade Ian, Jody Nardone & Tim Landers to climb into the back of a van and travel."
Bom, se ele aprovou, acho que seus seguidores devem gostar também. Experimente!
Em tempo: O Volume 2 estava praticamente pronto quando Ian nos deixou, em fevereiro de 2007. Grande perda."
Tracklist:
1. 21st Century Schizoid Man (Fripp, McDonald, Lake, Giles, Sinfield)
2. Three of a Perfect Pair
(Belew, Bruford, Fripp, Levin)
3. Catfood (Fripp, Sinfield, McDonald)
4. Starless (Cross, Fripp, Wetton, Bruford, Palmer-James)
5. Ladies of the Road (Fripp, Sinfield)
6. I Talk to the Wind (McDonald, Sinfield)
7. Red (Fripp)
8. Matte Kudasai (Belew, Bruford, Fripp, Levin)

Personnel:
Ian Wallace - drumset
Jody Nardone - acoustic grand piano
Tim Landers - fretless bass guitar

LINK:
http://rapidshare.com/files/208876247/Crimson_Jazz_Trio_-_King_Crimson_Songbook__2005_.rar.html

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

CZAR NO YOU TUBE



OLÁ PESSOAL,

ESTA POSTAGEM É PARA PROPORCIONAR BONS MOMENTOS AOS VISITANTES, ENQUANTO NAVEGAM PELO BLOG.
PARA QUEM GOSTOU DO ÁLBUM DO CZAR (QUEM AINDA NÃO CONHECE, EU RECOMENDO), BASTA DIGITAR CZAR PROGRESSIVE ROCK NA BARRA DE BUSCA DO YOU TUBE, PARA QUE POSSAM OUVIR AS MAGNÍFICAS FAIXAS Dawning of a new day, TREDLY SOFTLY ON MY DREAMS DO ÚNICO ÁLBUM DESTA BANDA MARAVILHOSA.
AGRADEÇO, DESDE JÁ, AO(S) ILUSTRE(S) AUTOR(ES) DESTA INICIATIVA.
PARA QUEM NÃO SABE, TEMOS UMA BARRA DE VÍDEO DO YOU TUBE NA PARTE SUPERIOR DIREITA DO BLOG. PODEMOS OUVIR SEM SAIR DA PÁGINA.

KING CRIMSON-IN THE WAKE OF POSEIDON-INGLATERRA 1970



HÁ MOMENTOS NA VIDA DE UM OUVINTE APAIXONADO POR MÚSICA PROGRESSIVA, EM QUE ELE DEVE REFLETIR SOBRE O PRINCÍPIO DE TUDO; QUE OBRAS E BANDAS CONTRIBUÍRAM PARA CONSOLIDAR OS PILARES DO SENTIMENTO INTENSO QUE ELE PRESERVA.
PARA MIM, KING CRIMSON É UM EXEMPLAR, QUE SURGIU DE UMA ERA EM QUE A CRIATIVIDADE PAIRAVA NO AR, PENETRANDO AS ALMAS DE JOVENS SEDENTOS POR LIBERDADE E ARTE. O FINAL DA DÉCADA DE 1960 FOI INUNDADO POR GRANDES TALENTOS, EMBRIAGADOS POR AQUELA ATMOSFERA CRIATIVA, DANDO INÍCIO AO SURGIMENTO DO ROCK PROGRESSIVO. E, ENTÃO, O KING CRIMSON EMERGIU...
EU APRESENTO AQUI E AGORA, O SEGUNDO TRABALHO DESTA BANDA, QUE TRAZ A MESMA ATMOSFERA "SOMBRIA", LÍRICA E AGRESSIVA, COM MELODIAS SUBLIMES E ARRANJOS MAGISTRAIS DO PRIMEIRO ÁLBUM (QUE SERÁ POSTADO EM BREVE).

06-Cat Food


LINE UP:
* Robert Fripp (guitars, mellotron and devices)
* Greg Lake (vocals)
* Michael Giles (drums)
* Peter Giles (bass)
* Keith Tippett (piano)
* Mel Collins (saxes and flute)
* Gordon Haskell (additional vocals on track 3)
* Peter Sinfield (lyrics)

SONGS:
1. "Peace – A Beginning" (Fripp/Sinfield) 0:49
2. "Pictures of a City" (Fripp/Sinfield) – 8:03, including:
* 42nd at Treadmill
3. "Cadence and Cascade" (Fripp/Sinfield) – 4:27
4. "In the Wake of Poseidon" (Fripp/Sinfield) – 7:56, including:
* Libra's Theme
5. "Peace – A Theme" (Fripp) 1:15
6. "Cat Food" (Fripp/Sinfield/McDonald) – 4:54
7. "The Devil's Triangle" (Fripp/McDonald) – 11:39, including:
* "Merday Morn"
* "Hand of Sceiron"
* "Garden of Wurm"
8. "Peace – An End" (Fripp/Sinfield) 1:53


LINK:
http://www.multiupload.com/X8E6RYU2P0

NEKTAR-SOUNDS LIKE THIS-ALEMANHA 1973



OUTRO NEKTAR...
LINK:
http://www.4shared.com/file/124995531/32d4f508/Nektar_-_Sounds_Like_This__1973__By_Muro.html

NEKTAR-REMEMBER THE FUTURE-ALEMANHA 1974



SEGUIMOS COM MAIS UM NEKTAR.
LINK:
http://www.4shared.com/file/124996304/7fab8118/Nektar_-_Remember_The_Future__1973__By_Muro.html

NEKTAR-JOURNEY TO THE CENTRE OF THE EYE-ALEMANHA 1971



MAIS UM ÁLBUM DESTA MARAVILHOSA BANDA ALEMÃ DE MÚSICOS INGLESES. ESTE FOI O ÁLBUM DE ESTREIA; PERDOEM A AUSÊNCIA DE ORDEM CRONOLÓGICA.
LINK:
http://www.4shared.com/file/124993552/d8ec5ce8/Nektar_-_Journey_To_The_Centre_Of_The_Eye__1971__By_Muro.html

domingo, 23 de agosto de 2009

NEKTAR-A TAB IN THE OCEAN-ALEMANHA 1972


SEGUE ABAIXO A BIOGRAFIA DA BANDA, RETIRADA DO CAPRICHADÍSSIMO BLOG MURO DO CLASSIC ROCK: http://alexsala.kit.blog.br/

BIOGRAFIA.

"Formado por 4 jovens ingleses que residiam temporariamente na Alemanha, teve sua carreira e primeiros discos lançados neste pais; por isso sempre que se fala em rock progressivo alemão um dos primeiros nomes que vem à mente é Nektar !

Durante os anos 70 foi a grande esperança de manter viva a chama progressiva, então já enfrentando uma tendência de acomodação e perda de entusiasmo por parte do público em razão dos grandes grupos estarem decadentes e acomodados em carreiras já estabelecidas e confortáveis ! Era apenas esperança !

Tudo começou em Hamburgo por volta de 1965, quando Allan Freeman – teclados e vocal, Ray Albrighton – guitarra e vocal, Derek Moore – baixo, mellotrom e vocal e Ron Howden – bateria tocavam no circuito de clubes.

Em 1968 durante uma série de shows no Star Club perceberam que tinham uma linha filosófico/musical comum e desejavam fazer um som com um lado experimental baseado no rock. Um ano e muito papo depois formaram o Nektar. Por volta de 1970 entrou aquele que é considerado o quinto membro da banda, apesar
de não oficial, Mike Brock, responsável pela concepção cênica e operação de som e luz dos shows do
grupo. Nesta época começam atrair um público crescente e entusiasmado na Alemanha.

Em 1971 assinam contrato com a gravadora Bellaphon e lançam seu disco de estréia, o extraordinário Journey to the Centre of the Eye. O segundo disco A Tab in the Ocean saiu um ano depois, tornando-se verdadeiro Cult entre os amantes progressivos fora da Alemanha !

Estes primeiros discos tinham em comum letras com visões surrealistas, argumentos para paz universal e arranjos instrumentais viajantes, típico dos início dos anos 70.

As canções deste período, eram extensas, com em média mais de 15 minutos de duração, com arranjos instrumentais viajantes que combinavam melodias suaves, experimentalismo e riffs de guitarra no melhor estilo hard,além de letras com visões surrealistas e argumentos para paz universal, típico dos início dos anos 70.

Ray Albrighton era a alma do grupo, guitarrista inventivo e versátil que improvisava sem esforço sobre as linhas melódicas do mellotrom de Derek Moore, fortemente marcado pela bateria de Ron Howden.

Cativam uma audiência crescente formada em sua maioria por fans dos grupos Emerson Lake & Palmer e Yes.

O som da banda, baseia-se na guitarra, teclados eletrônicos, e baixo, num estilo gótico, com texturas densas e timbres inusitados.
Seu terceiro álbum, Remeber the Future, lançado na Alemanha em 1973, era o registro de inovação do grupo. A música que deu nome a este disco tornou-se grande sucesso nas rádios FM da Alemanha ! Este disco foi o primeiro de sua discografia a ser lançado nos Estados Unidos. O sucesso deste LP os levou a tocar em Nova Iorque no dia 28 de setembro de 1974.

Down to Earth foi lançado em 1974 e como novidade tinha a participação de músicos convidados, entre eles a cantora Pat Arnold, mas ao contrário do que se esperava não conseguiu repetir o sucesso de Remeber the Future ! Neste mesmo ano lançam seu primeiro disco ao vivo batizado Live at the Roundhouse, gravado em Londres, e que curiosamente não incluía músicas do disco Remember the Future seu maior sucesso !
O LP Magic in a Child marca o primeiro racha no grupo, Albrighton foi substituido por Dave Nelson na guitarra e Larry Fast, grande virtuoso do sintetizador participa das gravações deste discoe em seguida entra para a banda de Peter Gabriel. Era o principio do fim !

Em 1978 foi lançado um álbum duplo com uma antologia da melhores faixas de todos os trabalhos da banda.

O ano de 1979 é marcado pela tentativa de Roy Albrighton tentar um retorno com uma nova formação do Nektar tocando em clubes de Nova Iorque e lançando o disco Man in the Moon. Infelizmente os tempos são outros e o som da banda não consegue atrair mais os fans como antigamente. Nem a entrada de David Prater na bateria conseguiu manter a unidade do grupo e dar um novo ânimo. Neste ano é oficializado o término oficial do grupo.

Recentemente rumores tem dado como certa a volta da banda com sua formação original e contando com
Larry Fast nos sitetizadores. É dificil acreditar, afinal Larry Fast após sair do Nektar desenvolveu carreira solo
de sucesso.

O futuro talvez nos diga, ou relembre" …


O CD EM QUESTÃO, TRAZ A MAGNÍFICA E VIAJANTE SUÍTE, HOMÔNIMA, COM SEUS 16:52MIN, E TRADUZ TODO A ATMOSFERA ALUCINANTE QUE NOSSO AMIGO CITOU ACIMA. SE ALGUÉM SENTIR NESTA FAIXA UMA LEVE ALUSÃO À INTRODUÇÃO DE ALGUMA MÚSICA DO RENAISSANCE, NÃO SE ESPANTE, POIS COMO VEMOS, ESTE ÁLBUM É ANTECEDENTE AO DA SUPOSTA SEMELHANÇA...EHEH.
UMA OUTRA PÉROLA DESTE ÉLBUM, É DESOLATION VALLEY QUE TEM UMA INTRODUÇÃO "DESCONCERTANTE", TÍPICA DE MESTRES DO ROCK PROGRESSIVO EM SUA MAIS ELEVADA REPRESENTAÇÃO; TÍPICA DE UM PINK FLOYD.
LINK:
http://www.4shared.com/file/124995024/5d6ef22d/Nektar_-_A_Tab_In_The_Ocean__1972__By_Muro.html

SEBASTIAN HARDIE



CONFORME PROMETIDO, NA POSTAGEM DO ÁLBUM FOUR MOMENTS, DESTA BANDA, SEGUIRÁ O RELATO INSPIRADÍSSIMO DE NOSSO AMIGO DIEGO:

"Olá amigos...
Já que Betinho deixou uma brecha irei antecipar um comentário. Na verdade, ando meio engasgado com essa banda desde que fui apresentado. Há alguns meses atrás, não me lembro a data mas já faz algum tempo, fui apresentado a essa banda com louvor Robertiniano e, como sempre faço, joguei no MP3 para escutar. Logo nos primeiros acordes da primeira faixa fui tomado por uma introdução adocicada, de cadência suave e progressiva que, de forma solene, sobrepunha-se enchendo o decorrer da música com alegria. A batera e o baixo fundindo-se em muitos momentos me propiciaram a impressão, em quase todas as faixas, de serem um só. O teclado sempre ao fundo, mais nunca ausente, gotejando leves toques de nostalgias saudosas, lembrou-me momentos solenes. Um verdadeiro retorno a locais desconhecidos. Quando entrou o vocal o orgasmo foi quase que imediato, Mario Millo demonstrou sem nenhum esforço, diga-se de passagem, o que é o verdadeiro vocal harmonioso dos grandes Rocks progressivos. Sem trégua o coito se arrastou por todo o álbum de forma branda, solene... Foram orgasmos múltiplos e seqüências de puro êxtase e magia!
Angelicalmente e com maestria, depois de transmutado a audição para terrenos oníricos de imprescindível alegria, fui surpreendido por uma energia latente que veio sendo produzida desde os primeiros acordes e que somente no início da quinta faixa explode em incomensuráveis sentimentalidades... É então que num ato dionisíaco nasce Rosana, uma mulher fantástica, um genuíno gesto de desabafo, um audaz corpo celeste aumentado pela soberba de criatividade e somente cognoscível pela música. Essa cadência que surge, quase surreal, emerge de um ápice que formula um contexto espontâneo engendrando uma eloquência instrumental magnânima, uma estonteante alusão ao perfeito que arrepia os ossos e excita completamente as glândulas lacrimais. E o melhor é que não para por ai, ainda tem “Openings”, a última faixa de um álbum conceitual, maduro, autêntico, revigorante... Mostrando que se pode dentro de uma mesma linhagem misturar cadências, energias, sutilezas... Sem nunca perder o arquetípico de genialidade.
Peço desculpas pelo exagero!!! Mais escrevi essas palavras escutando o álbum e acho que acabei saindo um pouco de mim.
Mas, corroborando nosso amigo mais dedicado a página, enfatizo a qualidade da banda não só nesse álbum mais em todos os seus trabalhos.
Um grande abraço".

SEBASTIAN HARDIE

OLÁ MEUS CAROS,

CPIEM O NOME SEBASTIAN HARDIE NO ESPAÇO PRA BUSCA DO YOU TUBE (QUE EU INCLUÍ NO BLOG - NA PARTE SUPERIOR DIREITA DA TELA); CURTAM UM DELÍLIO MUSICAL COM Glories Shall Be Released E Rosanna.
O CLIPE DE Rosanna MOSTRA A BANDA TOCANDO AO VIVO, MAS A VERSÃO É A ORIGINAL DE ESTÚDIO. AINDA ASSIM, PARA QUEM CURTE, VALE À PENA "VER" OS CARAS TOCANDO.
ESSA POSTAGEM É UMA HOMENAGEM AO MEU QUERIDO AMIGO DIEGO; AMANTE DELIRANTE DO SEBASTIAN HARDIE.

KING CRIMSON-RED-INGLATERRA 1974


PRETENDO DISCORDAR UM POUCO DA OPINIÃO DO CARÍSSIMO AUTOR DA POSTAGEM QUE SEGUIRÁ ABAIXO. ESTE TRABALHO É, SEM DÚVIDA, INDISPENSÁVEL; UM ALBUM ÍMPAR NA HISTÓRIA. A FORMAÇÃO DO GRUPO NESTE, É PERFEITA, PORÉM FICA MUITO DIFÍCIL APONTAR UMA FORMAÇÃO MELHOR QUE A PRIMEIRA - SOU SUSPEITO PRA FALAR, MAS É QUE FICO TÃO PRESO AO ENCANTO QUE ME CAUSOU O PRIMEIRO ÁLBUM, QUE FICA DIFÍCIL IMAGINAR ALGO MAIS PROFUNDO QUE A SENSIBILIDADE NOS ARRANJOS, NA EXECUÇÃO E NAS COMPOSIÇÕES. ESTÁ ENTRE OS MELHORES E MAIS PERFEITOS DISCOS QUE JÁ OUVI. APESAR DE SER MUITÍSSIMO FÃ DE BRUFFORD, CONSIDERO A BATERIA, NOS DOIS PRIMEIROS ÁLBUNS, O QUE HÁ DE MELHOR NO ROCK. MAS, VOLTANDO AO DISCO EM QUESTÃO, MERECE TODO O CRÉDITO COMO ÁLBUM INDISPENSÁVEL, COM FAIXAS QUE SÃO CLÁSSICAS E INCOMPARÁVEIS. STARLESS E FALLEN ANGEL SÃO CLÁSSICOS (CONCORDANDO COM NOSSO AMIGO).ESTA POSTAGEM EU RETIREI DO BLOG THE MUSICAL BOX:

http://www.4shared.com/file/124696873/538ddf48/King_Crimson_-_Red__1974__By_Muro.html,

Red no meu ponto de vista é o melhor trabalho lançado pela banda britânica King Crimson apesar de toda a instabilidade da banda . Ele destaca-se por ser um disco com composições mais elaboradas como Starless, um disco mais maduro. O disco obteve grande sucesso de critica, e até é um dos grandes clássicos da banda. Fez também algum sucesso comercial. Robert Fripp, o homem do King Crimson, mais uma vez mostra toda a sua técnica na guitarra em músicas como Red e Starless. E este albúm talvez seja o que conta com a melhor formação de toda a história do Crimson, com Bill Brufford, do Yes, na bateria e John Wetton nos vocais e no baixo, mostrando serviço também vide Fallen Angel, um clássico do grupo. Um disco realmente fantástico, indispensável em qualquer discografia básica de rock progressivo. Destaque para a magnífica Starless.

1. Red
2. Fallen Angel
3. One More Red Nightmare
4. Providence
5. Starless

AMERICAN BLUES EXCHANGE-BLUEPRINT-USA 1969




DEI UM MERGULHO NO ESCURO E ESBARREI COM ESSA PÉROLA. LEMBRO QUE SÓ BAIXEI DEVIDO AO ANO (1969), POIS NA POSTAGEM O AUTOR NÃO FAZ NENHUM COMENTÁRIO. EXTRAÍ DO MAGNÍFICO BLOG ROADHOUSE (TEM MUITA COISA BOA LÁ).
O SOM É MAGNÍFICO! TEMOS ROCKBLUES NO ESTILO INGLÊS; BLUES E BOAS BALADAS, INCLUSIVE UMA QUE PASSEIA PELO PROGRESSIVO: The True Son Confesses; MARAVILHOSA!!!
PARA QUE NÃO FIQUE MUITO NO ESCURO, PODEMOS CITAR TEN YEARS AFTER COMO REFERÊNCIA.
CONFIRAM, POIS VALE MUITO À PENA E EU RECOMENDO.
LINK:
http://www.badongo.com/file/15228600

SEBASTIAN HARDIE- FOUR MOMENTS -AUSTRÁLIA 1975



MEUS CAROS AMIGOS,

AQUI VAI A POSTAGEM DE INAUGURAÇÃO DESTE BLOG. UM DENTRE OS DEZ MELHORES ÁLBUNS DE MÚSICA PROGRESSIVA.
COMENTÁRIOS MEUS? PERDÃO...MAS LEVAREI ALGUM TEMPO AINDA PARA REGURGITAR TUDO QUE ABSORVI DESTA MAGNÍFICA BANDA.
FUTURAMENTE POSTAREI ALGO: UM RELATO INSPIRADÍSSIMO DE MEU AMIGO DIEGO; POR HORA FIQUEM COM OS COMENTÁRIOS (ASSIM, MEIO... DE QUEM ESTÁ UM TANTO SEM TEMPO, MAS MUITO ENTUSIASMADO E PRECISO) DO ILUSTRE MACTATUS QUE É PILOTO DO MA-RA-VI-LHO-O-O-O-O-O-SO BLOG VÔO 7177.


Sebastian Hardie - Four Moments (1975)
AUSTRALIA - Altamente recomendado!!!
Espetacular, magnífico, quando digo "altamente recomendado" pode botar fé, não vão se arrepender, um discaço! Aproveitem esta viagem. Músicos envolvidos: Mario Millo (vocais, guitarras e mandolin), Toivo Pilt (teclados e melotron), Alex Plavsic (bateria e percussão) e Peter Plavsic (baixo).
Faixas:
1. Four Moments (6:40)
2. Dawn of Our Sun (5:06)
3. Journey Through Our Dreams(6:43)
4. Everything Is Real (2:09)
5. Rosanna (5:59)
6. Openings (13:01)
LINK:
http://rapidshare.com/files/104630004/Sebastian.Hardie.Four.Moments.1976.Voo7177.rar