NIETZSCHE

"E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música". "Vida sem música é um equívoco". NIETZSCHE

domingo, 19 de agosto de 2012

[REPOST] LUCIANO BASSO-VOCI-ITÁLIA 1976




A impressão que tenho quando ouço esta obra, é que esse cara passou uma década inteira esmiuçando cada álbum das melhores bandas de progressivo, observou acorde por acorde de todos eles na intensão de delinear e projetar a melhor forma de se produzir algo o mais próximo da perfeição. Como eu disse, fica a impressão, pois a verdade é que tudo que está aqui é muito original, e é realmente perfeito. Luciano Basso compôs belíssimas músicas e decidiu que a apresentação delas deveria ser através do rock progressivo, e acertou em cheio, pois este estilo proporcionou-lhe as ferramentas necessárias para que ele desse vida à sua magnífica obra.

É um álbum de progressivo instrumental muito influenciado pela música clássica, em que Luciano Basso deixa sua marca mostrando-se um excelente instrumentista - acompanhado por um time de outros intrumentistas muito maduros - expressando toda sua nostalgia e melancolia em texturas incríveis com seus teclados.
Destaque para as duas últimas faixas, e para a primeira com uma guitarra a la Steve Hackett.
Quando ouvi este álbum pela primeira vez, foi algo surreal, eu não estava acreditando no que estava ouvindo; foi muito parecido com o que aconteceu quando ouvi, também pela primeira vez, o álbum Four Moments do Sebastian Hardie. Foram experiências maravilhosas que eu não tinha há décadas. Esses dois momentos me marcaram muito e, por isso, tenho um enorme prazer em compartilhar.
São momentos raríssimos proporcionados por obras de raridade proporcional. Fato que me traz à lembrança uma passagem de Schopenhauer, em que ele teorizava à cerca do ser humano, sugerindo que a felicidade seria apenas a interrupção temporária de um processo de infelicidade constante inerente ao ser humano; ou seja, esses momentos deixaram uma marca profunda em mim, fazendo com que eu sempre retorne a eles de forma saudosista.
Este filósofo foi fundador da idéia de que a música constitui um dos poucos e o mais expressivo meio capaz de propor a libertação do homem, face às mazelas da vida. Tais ideias acabariam por influenciar Nietzsche na concepção uma de suas melhores frases: "VIDA SEM MÚSICA É UM EQUÍVOCO". Tal influência também me atingiu, de forma que terminarei esta postagem com a seguinte frase: À CERCA DE MIM, POSSO AFIRMAR QUE PROGRESSIVO SEM VOCI E FOUR MOMENTS É COMO A MPB SEM CHICO BUARQUE.

01 - Preludio

 04 - voci




MÚSICAS

1-Preludio (7:35)
2-Promenade I° (4:45)
3-Promenade II° (6:19)
4-Voci (10:52)
5-Echo (9:17)

MÚSICOS

Luciano Basso / piano, organ, mellotron, electric piano, harpsichord
Luigi Campalani / violin
Massimo Palma / cello
Mauro Pernotto / contra bass, electric bass
Michele Zorzi / guitar
Riccardo Da Par / drums

LINK:
http://199.91.152.112/nqi0pkxwtfmg/acl9579pbgimbz8/LucianoBasso-Voci.rar

8 comentários:

Diego disse...

Olá amigão, como vai?
Que maravilha suas analogias... Seu discurso tem cada vez mais eloquência, e isso, para que faz uso da palavra no intuito de demonstrar emoção, é imprescindível!!!
Ah! obrigado pela re-postagem do Shiver, dukralho o álbum!!! Tem de tudo... até Reggae eu jurei escutar em alguns momentos nesse disco, sem contar o blues,o prog...
DUKRALHO!!!!

Abraços...

Mercenário Maldito disse...

Saudações Caríssimo Amigo Faustodevil!

Mais uma vez, como já se tornou um agradável hábito, voce generosamente nos oferece mais um material de excepcional qualidade.
Bicho, não conhecia essa verdadeira obra-prima, mas graças a sua imensa generosidade, ao seu excepcional bom gosto musical e seu profundo conhecimento musical temos o privilégio de conhecer essa magistral obra.
Quanto ao seu irretocável e brilhante texto, pouco ou nada tenho a acrescentar... BRAVO! BRAVÍSSIMO!
É por demais gratificante, emocionante e comovente ler um texto dessa qualidade e profundidade. Voce em poucas palavras sintetizou toda a alma e as cores dessa genial obra. Parabéns meu caro amigo!
Que bom que existem parceiros de ofício, capacitados e interessados em compartilhar e divulgar não apenas a obra intelectual musical, mas principalmente difundir suas exemplares observações, experiências e conclusões pessoais. Mais uma vez quero manifestar minha profunda admiração pelos seus textos e pela possibilidade de tê-lo como um amigo e parceiro.
Obrigado pela excelente experiência e pela profundidade de sua sábias palavras.
Um Grande AbraçO!

faustodevil disse...

Meu caríssimo amigo,

Não tenho palavras para expressar minha gratidão pelos seus comentários.
Gostaria de deter as melhores formas linguísticas para ressaltar o privilégio por receber tamanhos elogios vindos de alguém como você, que tanto admiro, que é uma referência para mim.
Diante de tais elogios, confesso que fico muito lisonjeado (pra ser sincero, muito envaidecido), e isso é fundamental. Esse reconhecimento do nosso trabalho é o motor que move nossa vontade de continuar sempre em frente.
Muito obrigado, meu amigo. Que bom que você tenha gostado.

Um grande abraço!!!!

Faustodevil

faustodevil disse...

Postagem original de 30/01/10.

Roderick Verden disse...

Mais um q eu não conhecia. Muito bom mesmo! Interessante, q ao ouvir a primeira faixa, supus q Luciano Basso era uma espécie de Richard Wright, mais erudito, pelo fato de ficar só acompanhando e criando climas, enquanto os outros instrumentistas solam. Todavia, à partir da segunda música, ele aparece bem com seus teclados, muito bem acessorado por grandes músicos. O disco é isso tudo mesmo q vc falou, caro Fausto. E Basso nem é de tocar sintetizador, prefere orgão e piano. O violino e o violoncelo tb são brilhantes.
A faixa q mais gostei foi a última.

Muito obrigado e parabéns por mais essa raridade!
Tudo de bom!

faustodevil disse...

Olá Grande Roderick,

É realmente um álbum espetacular.
A última faixa é viajante, com um gostinho floydiano.
O Basso possui outras obras, dentre elas o Cogli il giorno. Segue uma linha com raízes mais clássicas ainda. Curiosamente, ele optou por não incluir a bateria, fato que, de princípio, me deixou um tanto decepcionado; porém, com o tempo, percebi que realmente fora uma obra composta com muita inspiração e por um grande mestre.
Sinceramente não tenho bagagem musical para saber se seria coerente ou não a inclusão deste instrumento nete tipo de composição. Portanto, mais curiosamente ainda, de repente, ele inclui a guitarra no meio da terceira faixa, deixando a impressão de que ali caberia sim um belo arranjo de bateria, o que daria um clima bem mais progressivo. Sei lá...

Um grande abraço, meu amigo!

Faustodevil

Ricardo disse...

Prezado!
Descobri seu Blog através de uma busca aleatória pelo google: "progressivo instrumental". Tive a imensa sorte de conhecer seu trabalho de divulgação e seu Blog agora faz parte de minha trilha. Este trabalho de Luciano Basso é novo para mim e é uma bela surpresa. Ainda bem que existem pessoas como você, habilitadas e aptas para propagar conhecimentos tão pouco divulgados, verdadeiros tesouros excluídos da mídia. Muito obrigado e parabéns!

Márcia Tunes disse...

Adoro Luciano Basso, grande postagem!

Tenho um blog que talvez vc conheça o Contramão e no momento estou com uma coluna no jornal on line Olho Vivo, nela estou fazendo uma série dedicada a blogs, blogueiros e colecionadores gostaria de convidá-lo a participar, caso haja interesse por gentileza entre em contato pelo email: progrockcontramao@hotmail.com no assunto coloque o nome do seu blog.

Obrigada
Márcia
http://contramaoprogrock.blogspot.com.br/
http://www.olhovivo.ca/musica